Buscar
  • Mayla Tauany

"Depressão não é frescura e nem preguiça", diz psicóloga



Depressão é um estado de incapacidade profunda experimentado por quem é acometido por ela


O tema depressão, ou doença do século, como muitos a classificam, tem ganhado cada vez mais notoriedade na mídia. Artistas ou anônimos, todos correm o risco de ter a doença. Mas será que é possível identificar os estágios antes que as pessoas cheguem ao nível extremo?


A psicóloga Luciene Gomes traz informações imprescindíveis sobre o tema. Segundo a profissional, a OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgou que a depressão é a doença do século, e será a mais incapacitante até 2020. “Tivemos muitos casos de famosos que vieram a público para falar sobre o tema e como o diagnóstico afetou a rotina frenética deles. Whindersson Nunes disse tempos atrás em suas redes sociais: eu não sinto tanta vontade de viver! Esse é um sentimento compartilhado por muitos, a sensação de vazio extremo.” afirma Luciene.


A depressão pode ser dividida em três estágios, que variam de intensidade. São eles: leve, moderada e grave. Muitas vezes, no primeiro estágio, é difícil perceber a manifestação do transtorno depressivo, pois a pessoa ainda consegue executar suas tarefas diárias, embora internamente os sentimentos e a percepção estejam alterados. Já no segundo e terceiro estágios, as dificuldades começam a evoluir e a sensação de incapacidade tanto quanto a concentração começam a ser alteradas, o que torna difícil a execução de pequenas tarefas.


Mas e quando identificamos que alguém próximo esteja passando por isso? Como devemos agir? “A primeira coisa que devemos fazer é acolher, usar da empatia para tentar entender o que a pessoa está sentindo, sem julgamentos. E a partir daí incentivar a pessoa a buscar ajuda profissional, depressão tem tratamento e tem cura nos casos leves e moderados.” Além disso, a psicóloga alerta para as frases ou ações que não devemos dizer para uma pessoa depressiva: Não devemos utilizar frases como: “Você está com frescura.”, “Isso é preguiça.”, entre tantas outras frases utilizadas sem conhecimento e sem embasamento teórico. Depressão não é frescura nem preguiça, é um estado de incapacidade profunda experimentado por quem é acometido por ela.” diz Luciene.


Quando questionada sobre os motivos que causa a depressão, a profissional salienta que é difícil identificar um motivo aparente, a depressão é um transtorno silencioso que chega de mansinho e altera a forma como aquele ser humano vive e enfrenta seus problemas diários. Mas gatilhos podem ser motivos em alguns casos como: perda de emprego, perda de um ente querido, estresse, esgotamento psicológico ou mudanças bruscas na vida da pessoa.


A depressão não escolhe classe social, não escolhe religião, nem escolhe posição social. A sensação de vazio profundo e incapacidade pode ser experimentada por qualquer indivíduo em qualquer momento da vida seja de infortúnio ou vitórias.


Procurar ajuda profissional! Essa é a melhor forma de ajudar e ser ajudado. ”O psiquiatra é o médico mais indicado para fazer o diagnóstico e recomendar o melhor tratamento, que pode ser com a ajuda de medicamentos para o alívio dos sintomas e psicoterapia para auxiliar o indivíduo a ter uma melhor clareza de seus pensamentos e ações.”.


Além do humor deprimido (sentir-se deprimido a maior parte do tempo, quase todos os dias) e da anedonia (diminuição do prazer para realizar a maioria das atividades que antes eram prazerosas) também são sintomas da depressão:


- Alteração de peso (perda ou ganho de peso não repentino); - Distúrbio de sono (insônia ou sonolência excessiva praticamente diárias); - Problemas psicomotores (agitação ou apatia psicomotora, quase todos os dias); - Fadiga ou perda de energia constante; - Culpa excessiva (sentimento permanente de culpa e inutilidade); - Dificuldade de concentração; - Ideias suicidas (pensamentos recorrentes de suicídio ou morte); - Baixa autoestima, - Alteração da libido.


Conhece alguém que esteja passando por isso ou se identifica com alguns desses sintomas? Procure ajuda! Procure pela Psicóloga Clínica Luciene Gomes através do telefone (11) 97627-0478 ou pelas redes sociais, Facebook: Luciene Gomes ou Instagram @lucienegomes_7


Fonte: Luciene Gomes - Psicóloga Clínica

18 visualizações

© 2020 orgulhosamente criado com Wix.com

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco