Buscar
  • Mayla Tauany

Plástica não é só uma questão estética; conheça procedimentos que melhoram a qualidade de vida

Além de ajudar a tornar o corpo e a face mais harmônicos, a cirurgia plástica também possui indicações funcionais, melhorando a autoestima, a qualidade de vida e o bem-estar do paciente



Quando o assunto é cirurgia plástica, grande parte das pessoas acredita que se trata de procedimentos estéticos que apenas servem para o tratamento de alterações supérfluas. Porém, o que poucos sabem é que as cirurgias plásticas também podem ser indicadas para o tratamento de problemas que podem afetar diretamente a qualidade de vida do paciente.


“Certas alterações, como o tamanho dos seios, as orelhas de abano e disfunções nasais, podem afetar a autoestima e o bem-estar do paciente de tal forma que se tornam impedimentos em seu dia-a-dia, podendo gerar traumas psicológicos e até mesmo problemas de saúde, como dores nas costas, no caso de seios excessivamente grandes, e obstrução nasal, quando o problema é desvio do septo”, afirma o cirurgião plástico Dr. Paolo Rubez, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e mestre em Cirurgia Plástica pela UNIFESP. Para ilustrar esse fato, o especialista listou abaixo cirurgias plásticas que são comumente indicadas para o tratamento de alterações que afetam diretamente a saúde, a autoestima e o bem-estar do paciente, mas não estão, necessariamente, ligadas à estética. Confira:


Rinoplastia funcional: A rinoplastia é o procedimento que visa alterar a estética e o formato do nariz. Mas ela também pode ser indicada para o tratamento de problemas funcionais que afetam a saúde respiratória do paciente, como o desvio de septo, que é o deslocamento lateral da cartilagem e do osso que separam as narinas, e a hipertrofia dos cornetos nasais, popularmente conhecida como carne esponjosa. “Nesses casos, a rinoplastia visa o reposicionamento e a reconstrução das estruturas relacionadas diretamente com a função respiratória, como as válvulas nasais, que regulam o fluxo de ar inspirado e expirado, o septo e os cornetos”, afirma o médico


Mamoplastia de aumento: Indicada para mulheres que possuem seios pequenos ou que sofreram com a diminuição das mamas devido a fatores como gravidez, envelhecimento, amamentação, emagrecimento e, principalmente, mastectomia, ou seja, a retirada das mamas, a mamoplastia de aumento  consiste no implante de uma prótese de silicone, por cima ou por baixo do músculo peitoral, para conferir volume às mamas, sendo colocada através de uma incisão que pode ser feita nas axilas, ao redor da aréola ou embaixo dos seios. “A colocação da prótese pode ser associada à retirada de pele e remodelagem da glândula em caso de flacidez, que chamamos de mastopexia. O tamanho da prótese varia de acordo com o caso e deve ser escolhido em uma conversa entre o cirurgião e a paciente, levando em consideração fatores como o corpo, o tamanho do tórax, estatura. Existem diversos formatos de prótese que deve ser escolhido de acordo com proporcionalidade e desejo da paciente”, explica o cirurgião.


Mamoplastia redutora: Ideal para mulheres que possuem seios volumosos, desproporcionais e que causam dor nas costas devido ao tamanho e para homens que sofrem de ginecomastia, ou seja, o crescimento excessivo das mamas, a mamoplastia redutora visa remover o excesso de glândulas mamárias, gordura e pele da região para que as mamas fiquem proporcionais ao restante do corpo. “As incisões para o procedimento são no formato de T invertido, iniciando-se ao redor da aréola e continuando por uma linha vertical até a base do seio e outra horizontal no sulco mamário. Já o tamanho, o formato e a visibilidade das cicatrizes após o procedimento vão variar de acordo com o caso e o tamanho da mama”, afirma o especialista.


Otoplastia: As orelhas de abano, termo popular para os casos de orelhas muito afastadas da cabeça, geram traumas importantes com reflexos inimagináveis nas vidas de muitas pessoas. Mas é possível corrigi-las através da otoplastia, cirurgia reparadora de orelhas. “Podendo ser realizada a partir dos sete anos de idade, quando o crescimento do pavilhão auditivo é completo, a otoplastia é feita a partir de uma incisão atrás da orelha, acompanhando a dobra natural da pele. Após a retirada do excesso de pele, a moldagem da cartilagem é feita, o que a deixa mais flexível. Os pontos de fixação são feitos logo em seguida, para sustentar a nova anatomia da orelha e ‘fechar a pele’”, diz o médico. Segundo o cirurgião plástico, a cirurgia dura cerca de uma hora e é de risco muito baixo. “O objetivo é sempre deixar uma orelha com aparência natural e harmoniosa. A cicatriz é quase imperceptível e a alta do paciente se dá no mesmo dia.”


Além dos procedimentos citados acima, cirurgias mais comuns, como o lifting facial e a blefaroplastia, também podem ser importantes para melhorar a qualidade de vida e o bem-estar do paciente, afinal, alterações estéticas, como flacidez e rugas, podem afetar diretamente a autoestima, tornando-se um obstáculo na  vida pessoal. “Por isso, caso algo em sua aparência te incomode a ponto de atrapalhar sua rotina, vale a pena visitar um cirurgião plástico, que poderá realizar uma avaliação e indicar os procedimentos mais adequados para o seu caso de forma a garantir resultados naturais capazes de melhorar sua autoestima e qualidade de vida”, finaliza o Dr. Paolo Rubez.


PAOLO RUBEZ: Cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica (ASPS), Dr. Paolo Rubez é Mestre em Cirurgia Plástica pela Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O médico é especialista em Cirurgia de Enxaqueca pela Case Western University, com o Dr Bahman Guyuron (em Cleveland – EUA) e em Rinoplastia Estética e Reparadora, pela mesma Universidade e pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP. http://drpaolorubez.com.br/


Fonte: Guilherme Zanette | Holding Comunicações

4 visualizações

© 2020 orgulhosamente criado com Wix.com

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco